UMA ANÁLISE CRÍTICA DE DICIONÁRIOS ESCOLARES BILÍNGUES INGLÊS-PORTUGUÊS ADOTADOS NO BRASIL

Autores

  • Elaine Therezinha Assirati Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga

Palavras-chave:

Lexicografia, Dicionários escolares bilíngues, Dicionários monolíngues

Resumo

Mesmo sendo uma ferramenta de fundamental importância no processo ensino/aprendizagem da língua inglesa, os dicionários escolares bilíngues inglês-português, adotados no Brasil, estão longe de ser obras satisfatórias, tanto no que se refere à macroestrutura, como à microestrutura. As inadequações apresentadas pela grande maioria dessas obras podem comprometer seriamente o entendimento dos alunos brasileiros e dos consulentes em geral, aprendizes do inglês. Há, comumente, uma total ignorância sobre as questões lexicográficas por parte dos alunos, que não recebem orientação de seus professores sobre os conteúdos do dicionário. Este artigo pretende verificar as falhas apresentadas por três dicionários escolares bilíngues, focalizando aspectos lexicográficos tais como a equivalência, a definição, os exemplos e a gramática. Estabelece como parâmetro para uma comparação um dicionário monolíngue inglês-inglês, cuja qualidade é comprovadamente excelente. Em cada verbete analisado, apresenta críticas e sugestões para o aperfeiçoamento dos pontos problemáticos, visando a um texto lexicográfico de melhor qualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

-

Publicado

01/07/2006

Como Citar

ASSIRATI, E. T. UMA ANÁLISE CRÍTICA DE DICIONÁRIOS ESCOLARES BILÍNGUES INGLÊS-PORTUGUÊS ADOTADOS NO BRASIL. Revista Interface Tecnológica, [S. l.], v. 3, n. 1, p. 125-133, 2006. Disponível em: https://revista.fatectq.edu.br/index.php/interfacetecnologica/article/view/412. Acesso em: 1 out. 2020.

Edição

Seção

Tecnologia em Comunicação