O COACHING COMO ESTRATÉGIA DE AUMENTO DO DESEMPENHO DO CAPITAL HUMANO NAS ORGANIZAÇÕES

Autores

  • Jenifer Lucas Gonçalves Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga (FATEC) – SP – Brasil
  • Guilherme Augusto Malagolli Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga (FATEC) – SP – Brasil

DOI:

https://doi.org/10.31510/infa.v15i2.490

Palavras-chave:

Capital Humano, Organizações, Desempenho, Vantagem Competitiva

Resumo

A busca por inovações tecnológicas está frequentemente associada ao aumento de eficiência de máquinas e equipamentos, no entanto raramente o capital humano das organizações é visto como fonte de inovação na mesma proporção do capital físico. Mesmo assim, a pressão por atingir metas e resultados é uma constante no cotidiano dos funcionários de uma empresa. Neste contexto, o Coaching se coloca como uma prática que busca desbloquear o potencial das pessoas para aumentar o seu desempenho, este artigo tem por objetivo principal analisar a prática com Coaching como fator de aumento de competitividade nas organizações. Como objetivo secundário, busca-se identificar a aceitação do Coaching como método reconhecido e eficaz por parte das empresas. Para isso, a metodologia do artigo está pautada em uma pesquisa qualitativa, de caráter exploratório e analítico, que buscou através de entrevistas com profissionais do Coaching e com empresários para atingir os objetivos propostos. Como resultado, notou-se que o Coaching aborda de forma eficaz temas que frequentemente são causadores de stress no dia a dia das organizações e, assim, causadores de queda de desempenho. Porém, a prática do Coaching ainda é vista como uma novidade por parte dos empresários, que apresentam certa resistência à adoção desta prática nas empresas. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

AGUIAR, M.A.F. Psicologia aplicada a administração. São Paulo. Saraiva, 2005.

BOOG, G.; BOOG, Magdalena. Manual de treinamento e desenvolvimento: processos e operações. São Paulo: Prentice-hall, 2006.


CHIAVENATO, I. Gestão de pessoas. 3ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

CHIAVENATO, I. Gestão de Pessoas. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

CHIAVENATO, I. Gestão de Pessoas: o novo papel dos recursos humanos na organização. 3. ed. Rio de Janeiro: Elzevier, 2011.

CHIAVENATO, I. Introdução à teoria geral da administração. 7. ed.rev. Atual. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

ESPÍNOLA, H. L. O Salário: Pode Ser Usado Como um Fator Motivador? Disponível em https://psicologado.com.br/atuacao/psicologia-organizacional/o-salario-pode-ser-usado-como-um-fator-motivador Acesso em 25/09/2018.
GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Editora Atlas 2006
GODOY, Arilda Shmidt (et al.). Gestão do fator humano: Uma visão baseada em stakeholders. 2. ed. São Paulo: Saraiva 2008.

KOLB, D.A. A gestão e o processo de aprendizagem. In: STARKEY, K. Como as organizações aprendem. São Paulo: Futura, 1997. P.321-341.
KOLB, D.A. Experimental learning: Experience as the source of learning and Development. New Jersey: Prentice-Hall. 1984
LIMA, A. S.; AUGUSTO, C. A. O impacto das práticas de gestão de pessoas sobre a motivação do colaborador em organizações da sociedade civil de interesse público (OSCIPS). Rev. Ciênc. Empres. UNIPAR, Umuarama, v. 19, n. 1, p. 17-40, jan. /jun.2018.
LOPES, M. R.; OLIVEIRA, W. N. P: QUEIRÓS, A. F. Motivação e Liderança Dentro das Empresas. Rev. Cienc. Gerenc., v. 21, n. 34, p. 91-97, 2017
MARRAS, J. P. Administração de recursos humanos – do operacional ao estratégico. São Paulo: Editora Saraiva 2011.
MARRAS, J. P. Administração de recursos humanos: do operacional ao estratégico. 14. ed. São Paulo: Saraiva 2011.

OLIVEIRA-SILVA, L. C. et al. Desvendando o Coaching: uma Revisão sob a Ótica da Psicologia. Psicol. Cienc. prof., Brasília, v. 38, n. 2, p. 363-377, jun. 2018. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932018000200363&lng=pt&nrm=iso>. Acessos em 02 out. 2018.

RESENDE, E. (2000). O livro das competências: desenvolvimento das competências: a melhor auto-ajuda para pessoas, organizações e sociedade. Rio de Janeiro: Qualitymark.

RUAS (2000) FLEURY; FLEURY (2001) e DUTRA, J. S. Gestão de pessoas: modelo, processos, tendências e perspectivas. São Paulo: Atlas, 2002.
RUAS, R. L. (2001). Desenvolvimento de Competências Gerenciais e a Contribuição da Aprendizagem Organizacional. In M. T. Fleury, & M. Oliveira (Orgs.), Gestão Estratégica do Conhecimento. São Paulo: Atlas.
VYGOTSKY, L.S. A Formação Social da Mente. 6ª ed. São Paulo, SP. Martins Fontes Editora LTDA, 1998.

VYGOTSKY, L.S; LURIA, A.R. & LEONTIEV, A.N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone: Editora da Universidade de São Paulo, 1998.

WHITMORE, J. Coaching para aprimorar o desempenho: Os princípios e as práticas do coaching e da liderança. Clio Editora. São Paulo, 2012.

Downloads

Publicado

30/12/2018

Como Citar

GONÇALVES, J. L.; MALAGOLLI, G. A. O COACHING COMO ESTRATÉGIA DE AUMENTO DO DESEMPENHO DO CAPITAL HUMANO NAS ORGANIZAÇÕES. Revista Interface Tecnológica, [S. l.], v. 15, n. 2, p. 276–288, 2018. DOI: 10.31510/infa.v15i2.490. Disponível em: https://revista.fatectq.edu.br/interfacetecnologica/article/view/490. Acesso em: 26 nov. 2022.

Edição

Seção

Tecnologia em Produção Industrial

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>