A LIDERANÇA FEMININA E SEUS IMPACTOS NO AMBIENTE CORPORATIVO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31510/infa.v20i2.1731

Palavras-chave:

Liderança feminina, Desigualdade de Gênero, Desafios das mulheres em ambientes de trabalho

Resumo

Este artigo possui o objetivo de relatar sobre o papel da liderança feminina no ambiente de trabalho. Para isso, analisa sobre a evolução das questões relacionadas a igualdade de gênero; relata sobre a evolução das lideranças femininas no ambiente de trabalho; conceitua o papel da mulher no ambiente de trabalho atualmente. Este estudo é de natureza qualitativa e consiste em uma revisão de literatura, que envolveu a pesquisa de livros, dissertações e artigos científicos em bases de dados como o Google Acadêmico e revistas online. A pesquisa incluiu trabalhos de autores renomados na área de pesquisas de campo, abrangendo uma ampla gama de fontes de informação. A pesquisa revela que as mulheres líderes tendem a adotar um estilo de gestão humano, com foco na comunicação emocional e bem-estar dos funcionários e reafirma a desigualdade de gênero que ainda se faz presente no mercado de trabalho, bem como os desafios enfrentados pelas mulheres em cargos de liderança.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

BARRETO, A.; ARAÚJO, L.; PEREIRA, M. E. Gênero e diversidade na escola: formação de professoras/es em gênero, sexualidade, orientação sexual e relações étnico-raciais. Rio de Janeiro: Cepesc, 2009.

BIROLI, F. Gênero e desigualdades limites da democracia no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2018. 232 p.

CASAGRANDE, L. S.; CARVALHO, M. G.; LUZ, N. S.Igualdade de gênero enfrentando o sexismo e a homofobia. Curitiba: Utfpr, 2011.

COSTA M. C, LOPES M. J. M.; SOARES, J. S. F. Violência contra mulheres rurais: gênero e ações de saúde. Esc. Anna Nery, 2008.

DIEESE. A situação do trabalho no Brasil na primeira década dos anos 2000. São Paulo: Dieese, 2012. 406 p. E-book.

FRANKEL, Lois P. Mulheres lideram melhor que homens. São Paulo: Gente, 2007.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Agência IBGE. Notícias. (2018)Estatísticas de gênero: responsabilidade por afazeres afeta inserção das mulheres no mercado de trabalho. Disponível em: <https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/20232-estatisticas-de-genero-responsabilidade-por-afazeres-afeta-insercao-das-mulheres-no-mercado-de-trabalho>. Acesso em 12 de setembro de 2023.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Agência IBGE. Notícias. (2019)Diferença cai em sete anos, mas mulheres ainda ganham 20,5% menos que homens. Disponível em: <https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/23924-diferenca-cai-em-sete-anos-mas-mulheres-ainda-ganham-20-5-menos-que-homens>. Acesso em 12 de setembro de 2023.

LEITE, Marcia de Paula. Gênero e trabalho no Brasil: os desafios da desigualdade. Revista Ciência do Trabalho, São Paulo, v. 9, n. 8, p. 45-60, ago. 2017.

LIMA, M. C.; OLIVO, S. Estágio supervisionado e trabalho de conclusão de curso: na construção da competência gerencial do administrador. São Paulo: Cengage Learning, 2013.

LODEN, Marilyn. Liderança feminina: como ter sucesso nos negócios sendo você mesma. São Bernardo do Campo: Bandeirantes S/A, 1988.

MANDELLI, Livia. Liderança nua e crua: decifrando o lado masculino e feminino de liderar. Petrópolis: Vozes, 2015.

MELO, L. B. (2014). Representações sociais da mulher praticante de esportes de combate na visão de atletas de artes marciais de Teresina/PI (Trabalho de Conclusão do Curso de Licenciatura Plena em Educação Física). Departamento de Educação Física, UFPI, Teresina.

MOLLER, M. A. B.; GOMES, J. F. D. S. Quid Vincit: o impacto da liderança feminina na implicação organizacional. Análise Psicológica, v. 28, n. 4, 683-697, 2010. DOI: https://doi.org/10.14417/ap.389

NASCIMENTO, Marileide Alves do. Gestão feminina: a liderança feminina nas organizações brasileiras. Ideias & Inovação, Aracaju, v. 4, n. 2, p. 57-66, maio 2018.

NOGUEIRA, M. C. O. C. Os discursos das mulheres em posições de poder. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, vol. 9, n. 2, p. 57-72. Portugal, 2006. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v9i2p57-72

OLIVEIRA, F. D. S. Liderança e Gênero: estilos, estereótipos e percepções masculinas e femininas. 2015. 142 f. Dissertação (Mestrado em Administração). Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2015.

RODRIGUES, Stephane Carvalho; SILVA, Gleiciane Rosa da. A liderança feminina no mercado de trabalho. Revista Digital de Administração Faciplac, Gama, v. 1, n. 4, p. 1-12, jan. 2015. Semestral.

SILVEIRA, I. L. F., et al. Liderança Feminina sob a Luz de Mary Kay Ash. In: XI SIMPÓSIO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO E TECNOLOGIA, 2014. Anais... [S. l.]: UniFOA, 2014.

SEN, A. A Ideia de justiça. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

SILVA, A.; NAZÁRIO, P.Mulheres atletas de futsal: Estratégias de resistência e permanência no esporte. Estudos Feministas, 26(1), 1-15, 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/1806-9584.2018v26n140862

SOARES, Maria Thereza Rubim Camargo. Liderança e desenvolvimento de equipes. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2015.

Downloads

Publicado

20/12/2023

Como Citar

CRISTINA MINETTO DE SOUZA, S.; SENA BARBOSA, V. .; SEGNINI RODRIGUES, L. A LIDERANÇA FEMININA E SEUS IMPACTOS NO AMBIENTE CORPORATIVO. Revista Interface Tecnológica, [S. l.], v. 20, n. 2, p. 347–358, 2023. DOI: 10.31510/infa.v20i2.1731. Disponível em: https://revista.fatectq.edu.br/interfacetecnologica/article/view/1731. Acesso em: 30 maio. 2024.

Edição

Seção

Tecnologia em Gestão Empresarial

Métricas