A SOCIEDADE DO CANSAÇO NO CONTEXTO BRASILEIRO PÓS PANDEMIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31510/infa.v19i2.1530

Palavras-chave:

cansaço, trabalho, desempenho, saúde, equilíbrio

Resumo

É premente, no contexto brasileiro pós pandemia, o estado de cansaço e o esgotamento dos trabalhadores frente às demandas, às pressões por resultados, à exigência de alto desempenho, autocobranças individuais e dificuldades para se desligarem do serviço e/ou terem mais tempo para fazerem o que gostam em seu momento de lazer. As empresas querem produzir mais com menos recursos, recuperar prejuízos e metas não atingidas, decorrentes do período em que as atividades estiveram paradas. Contribuições filosóficas e culturais esclarecem o assunto, relacionando-o à evolução da própria gestão empresarial, ao neoliberalismo e ao desequilíbrio existente entre teoria e prática, agravado por crises e doenças. Existe um limite para trabalhar sem adoecer? Posto isso, uma revisão bibliográfica pode impulsionar um olhar crítico e conscientizador sobre os impactos na saúde física e mental dos trabalhadores e pensar sugestões de conciliação e melhoria entre gestores e subordinados, já que o cansaço representa um problema para as organizações e para a sociedade como um todo. As fontes da pesquisa são obras, artigos, publicações acadêmicas e reportagens eletrônicas sobre o tema, acompanhadas da análise e interpretação dos dados encontrados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ana Elisa Silva Calegari, Faculdade de Tecnologia de Araraquara (Fatec) – Araraquara – SP – Brasil

Possui graduação em Turismo pelo Centro Universitário de Araraquara (2002), licenciatura plena em Letras (português / inglês) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2003), pós-graduação em Gestão Turística do Patrimônio Histórico-Cultural pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2006). É técnico em Administração pelo Centro Paula Souza (2014), além de formanda da primeira turma do curso de Gestão Empresarial pela Faculdade de Tecnologia de Araraquara (2022).

Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Mortalidade por suicídio e notificações de lesões autoprovocadas no Brasil. Boletim Epidemiológico, 52, 1–10, 2021. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/noticias/2021-1/setembro/brasil-registraaumento-de-suicidios-entre-2010-e-2019. Acesso em: 20 set. 2022.

BRUM, E. Exaustos-e-correndo-e-dopados. In: El País. Publicado em 04 jul. 2016. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2016/07/04/politica/1467642464_246482.html. Acesso em: 24 set. 2022.

CAVALLINI, M. Síndrome de Burnout é reconhecida como doença ocupacional. Publicado em 11 jan. 2022. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/concursos-e-emprego/noticia/2022/01/11/sindrome-de-burnout-e-reconhecida-como-doenca-ocupacional-veja-o-que-muda-para-o-trabalhador.ghtml. Acesso em: 19 set. 2022.

DARDOT, P.; LAVAL, C. A nova razão do mundo: ensaios sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

DUNKER, C. O mal-estar e a sociedade do cansaço. In: Falando nisso, canal do YouTube, de 18 out. 2019. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=5Jj9rxd-SHI. Acesso em: 11 jul. 2022.

GELI, C. Byung-Chul Han: hoje o indivíduo se explora e acredita que isso é realização. In: El País, Barcelona, 07 fev. 2018. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2018/02/07/cultura/1517989873_086219.amp.html. Acesso em: 22 set. 2022.

GRESSER, I. Sociedade do cansaço: Byung-Chul Han em Seul/Berlim. Documentário/ensaio apresentado no 11º Festival des deutschen Films, 2015. Tradução e legendas por Anderson Santos. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=mNmxA8CjrdQ. Acesso em: 29 ago. 2022.

HAN, B-C. Psicopolítica – o neoliberalismo e as novas técnicas de poder. Trad. Maurício Liesen. Belo Horizonte: Âyiné, 2018.

_________. Sociedade do cansaço. Trad. Ênio Paulo Giachini. Petrópolis: Vozes, 2015.

KARNAL, L. Sociedade do cansaço e a narrativa alheia. In: Sabedoria Emergente, canal do YouTube, de 15 set. 2019. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=IjQYBuM8728 Acesso em: 24 set. 2022.

MARCONI, M.A.; LAKATOS. E.M. Fundamentos da metodologia científica. São Paulo: Atlas, 2003.

MULINARI, F. O que há de bom (e ruim) no livro Sociedade do cansaço, de Byung-Chul Han. In: A Filosofia explica, canal do YouTube, de 25 fev. 2021. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=6xGEjZBs1nA. Acesso em: 09 ago. 2022.

RADFAHRER, L. As novas relações de trabalho pós-pandemia já não dão espaço para estruturas burocráticas. In: Rádio USP, de 01 abr. 2022. Disponível em: https://jornal.usp.br/radio-usp/as-novas-relacoes-de-trabalho-pos-pandemia-ja-nao-dao-espaco-para-estruturas-burocraticas/. Acesso em: 19 set. 2022.

SAFATLE, V. Introdução a Jacques Lacan. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

SAFATLE, V.; SILVA JUNIOR, N.; DUNKER, C. (orgs). Neoliberalismo como gestão do sofrimento psíquico. Belo Horizonte: Autêntica, 2021.

SMARTLAB. Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho. Brasil, IBGE, 2021. Disponível em: https://smartlabbr.org/sst/localidade/0?dimensao=perfilCasosAfastamentos. Acesso em 20 set. 2022.

TÜRCKE, C. Sociedade excitada: filosofia da sensação. Campinas: Editora da Unicamp, 2014.

_________. Hiperativos! abaixo a cultura do déficit de atenção. São Paulo: Paz & Terra, 2016.

Downloads

Publicado

20/12/2022

Como Citar

CALEGARI, A. E. S.; DOTI, M. M. A SOCIEDADE DO CANSAÇO NO CONTEXTO BRASILEIRO PÓS PANDEMIA. Revista Interface Tecnológica, [S. l.], v. 19, n. 2, p. 476–488, 2022. DOI: 10.31510/infa.v19i2.1530. Disponível em: https://revista.fatectq.edu.br/interfacetecnologica/article/view/1530. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Tecnologia em Gestão Empresarial

Métricas

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)