CRIAÇÃO E MANEJO DA CODORNA COTURNIX JAPÔNICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31510/infa.v19i2.1483

Palavras-chave:

Codorna Japônica, Coturnix Japonica, Investimento, Rentabilidade

Resumo

A Codorna Japônica é uma ave originária do norte da Ásia e pertence a subfamília das galinhas, é uma das espécies mais precoces e produtivas, dando início a postura em torno dos 40 dias de idade e tendo uma produção de em média 300 ovos no seu primeiro ano de vida. a coturnicultura é considerado um novo setor econômico que está em constante expansão, se apresentando como uma alternativa econômica para os pequenos e os grandes produtores rurais. O tipo de pesquisa utilizado foi a bibliográfica, e o objetivo central deste estudo foi o de elaborar um documento que trouxesse diretrizes para a criação de codornas destinadas a produção, demonstrando a viabilidade financeira para futuros investimentos e rentabilidade neste tipo de negócio. A justificativa para a coturnicultura são as grandes vantagens devido sua alta precocidade sexual, garantindo rápido retorno. Assim os resultados obtidos foram satisfatórios, considerando todo corolário demonstrou-se ser economicamente viável, podendo promover renda aos produtores no fomento da atividade, sendo ela como atividade principal ou secundária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

BRASIL. Decreto nº 9.013, de 29 de março 2017. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 30 mar. 2017a. p. 3.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Exportações do agronegócio crescem quase 37% em fevereiro: vendas somam US$ 6,71 bi. Carne bovina, soja, açúcar e álcool, cereais e produtos florestais puxaram embarques. 2017. Disponível em: http://www.agricultura.gov.br/comunicacao/noticias/2016/03/exportacoes-do-agronegocio-crescem-quase-37porcento-em-fevereiro >. Acesso em: 01.abr.2022.

BRASIL. Portaria nº 193, de 19 de setembro de 1994. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 22 de set. 1994, Seção I. p. 4.

CARMO, A. K. S. Sua criação de codornas de forma prática. 2015. Encontrado em: < https://www.almanaquedocampo.com.br/imagens/files/Criar%20codornas.pdf>. Acesso em: 20 de mai. 2022.

COSTA, P.C.; RODRIGUES, P.R.; GURGEL, M.P.L. et al. ABATE CLANDESTINO – RISCOS E CONSEQUÊNCIAS. In: X SECOMV. UFES, Alegre, Espírito Santo, 2011.

ENGLERT, S. Produção de frangos de corte. In: Englert S. Avicultura: tudo sobre raças, manejo e alimentação. 7Ş ed. Guaíba: Agropecuária, 1998; p. 94-151.

FURTADO, D. A.; MOTA, J. K. M.; NASCIMENTO, J. W. B.; SILVA, V.R.; TOTA, L. C. A. Produção de ovos de matrizes pesadas sob estresse térmico. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.15, p.748-753. 2011. DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-43662011000700014

GIL, Antonio C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1991.

GUIMARÃES, M. C. DA C. et al. 2014. Efeito da estação do ano sobre o desempenho produtivo de codornas no seminário paraibano. Construções rurais e ambiência. Rev. Bras. Eng. Agríc. Ambient. 18. disponível em: <https://www.scielo.br/j/rbeaa/a/PYNpJ8n8QhFd3W6X5yHBXBS/?lang=pt>. Acesso em: 20 de mai. 2022.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRARIA E ESTATÍSTICA – IGBE. Produção da Pecuária Municipal. 2019.Disponível em:< https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/84/ppm_2019_v47_br_informativo.pdf>Acesso em: 19.set.2022.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Sistema IBGE de recuperação automática. SIDRA – Banco de dados pecuária. 2013.Acesso em: 22.mar.2022.

LEE, R. J.; COLE, S. R. Internal quality control for water bacteriology. Journal of Applied Bacteriology. 1993. Acesso em: 8 de abr.2022.

LIMA, H. J., et al. Densidade inicial de alojamento de codornas japonesas na fase de postura. Global science and technology, v.5, n. 2, p. 186 - 193. 2012.

LOPES-DA-SILVA, M.; SANCHES, M.M.; STANCIOLI, A.R.; ALVES, G.; SUGAYAMA, R. The role of natural and human mediated pathways for invasive agricultural pests: a historical analysis of cases from Brazil. Agricultural Sciences, v.5, p.634-646, 2014. DOI: https://doi.org/10.4236/as.2014.57067

MACARI, M. Importância da qualidade da água e tipos de bebedouros para frangos de corte. In: Manejo de Frangos de Corte. Curso, Campinas. Anais. Campinas: Fundação Apinco de Ciência e Tecnologia Avícolas - Facta, 1997; p. 101-120.

MARQUEZ, D. Fundamentos básicos de incubação industrial. 2.ed. São Paulo: CASP, 1994. 22p.

MATOS, E.H.S.F. Dossiê técnico: criação de codornas. Brasília: CDT/UnB, 2007. 22p.

MINVIELLE, F.; OGUZ, Y. Effect of genetics and breeding on egg quality of Japanese quail. World´s Poultry Science Journal, v.58, p.291-295. 2002. DOI: https://doi.org/10.1079/WPS20020022

MURAKAMI, A.E.; ARIKI, J. Produção de codornas japonesas. Jaboticabal: Funep, 1998. 79p.

NASCIMENTO, F. P. Metodologia da Pesquisa Científica: teoria e prática – como elaborar TCC. Brasília: Thesaurus, 2016.

OLIVEIRA, B. L. Importância do manejo da produção de ovos de codornas. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE COTURNICULTURA, 2.; CONGRESSO BRASILEIRO COTURNICULTURA, 1., 2004, Lavras, Anais... Lavras: UFLA, 2004, p.91.

OLIVEIRA, R.F.M.; DONZELE, J.L.; ABREU, M.L.T.; FERREIRA, T.A.; VAZ, R.G.M.V.; CELLA, P.S. Efeitos da temperatura e da umidade relativa sobre o desempenho e o rendimento de cortes nobres de frangos de corte de 1 a 49 dias de idade. Revista Brasileira de Zootecnia, v.35, n.3, p.797-803, 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S1516-35982006000300023

PASTORE, S.M.; OLIVEIRA, W.P. DE; MUNIZ, J.C.L. Panorama da coturnicultura no Brasil. Revista eletrônica nutritime. vol.9, n.6, p.2041–2049, 2012.

PETROLLI, T.G.; MATEUS, K.; RODRIGUES, M. Criação de codornas: pequenas e lucrativas. SB Rural, 2p., 2011.

PINTO, R.; FERREIRA, A. S.; ALBINO, L. F. T.; GOMES, P. C.; VARGAS, J. G. J. Níveis de Proteína e Energia para Codornas japonesas em postura. Revista brasileira de zootecnia, v.31, n.4, p.1761-1770, 2002. DOI: https://doi.org/10.1590/S1516-35982002000700019

PIZZOLANTE, C. C. et al. Beak trimming methods and effects on the performance and egg quality of japanese quais (Coturnix japonica) during lay. Brazilian Journal of Poultry Science, Campinas, v 9, p.17-21, Jan/Mar. 2007. DOI: https://doi.org/10.1590/S1516-635X2007000100003

PIZZOLANTE, C. C. et al. Beak trimming methods and their effect on the performance of japanese quail pullets (Couturnix japonica). Brazilian Journal of Poultry Science, Campinas, v.8, n.4, p.213-216, Oct/Dec. 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S1516-635X2006000400002

REIS, L. F. S. D. Codornizes, criação e exploração. Lisboa: Agross, 10, 1980. 222p. Disponível em: < https://repositorio.ufu.br/bitstream/123456789/13120/1/SorgoGraoDesempenho.pdf> Acesso em: 18 de mar. 2022.

RIBEIRO, H.; JAIME, P.; VENTURA, D. Alimentação e sustentabilidade. Estudos Avançados, São Paulo, v. 31, n. 89, p. 185-198, 2017. DOI: https://doi.org/10.1590/s0103-40142017.31890016

SILVA, J.H.V.; COSTA, F.G.P. Tabela para codornas japonesas e européias. 2.ed. Jaboticabal, SP: FUNEP, 2009. 110p.

SILVA, J.H.V.; Jordão Filho, J.; Costa, F.G.P.; Lacerda, P.B. de; Vargas, D.G.V. Exigências nutricionais de codornas. In: XXI Congresso Brasileiro de Zootecnia- ZOOTEC, 21, 2011, Maceió. Anais... Maceió: UFAL, 2011.

SILVA, J.H.V.; SILVA M.B.; JORDÃO FILHO, J.; SILVA, E.L.; ANDRADE, I.S.; MELO, D.A.; RIBEIRO, M.L.G.; ROCHA, M.R.F.; COSTA, F.G.P.; DUTRA JUNIOR, W.M. Exigência de mantença e de ganho de proteína e de energia em codornas japonesas (Coturnix coturnix japonica) na fase de 1 a 12 dias de idade. Revista Brasileira de Zootecnia, v.33, n.5, p.1209-1219, 2004. DOI: https://doi.org/10.1590/S1516-35982004000500013

SLACK, N.; CHAMBERS, S.; JOHNSTON, R. Administração da produção. 3. ed. – São Paulo: Atlas, 2009.

SOLIMAN, F. N. K.; RIZK, R. E.; BRAKE, J. Relationship between shell porosity, shell thickness, egg weight loss, and embryonic development in Japanese quail eggs. Poultry Science, Champaign, v. 73, n.10, p.1607-1611, 1994. DOI: https://doi.org/10.3382/ps.0731607

UMIGI, R. T.; BARRETO, S. L. T.; REIS, R. S.; MESQUITA FILHO, R. M. ARAÚJO, M. S. Níveis de treonina digestível para codornas japonesas na fase de produção. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v.64, p.658-664, 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-09352012000300018

Downloads

Publicado

20/12/2022

Como Citar

BENIVENTE, A. C.; MORAES, J. A. T.; DA SILVA, L. P.; FERRAREZI JUNIOR, E. CRIAÇÃO E MANEJO DA CODORNA COTURNIX JAPÔNICA. Revista Interface Tecnológica, [S. l.], v. 19, n. 2, p. 691–701, 2022. DOI: 10.31510/infa.v19i2.1483. Disponível em: https://revista.fatectq.edu.br/interfacetecnologica/article/view/1483. Acesso em: 18 abr. 2024.

Edição

Seção

Tecnologia em Agronegócio

Métricas

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>