PROPOSTA DE READEQUAÇÃO DE ARRANJO FÍSICO NA INDÚSTRIA TÊXTIL

um estudo de caso na linha de produção de confecção de roupas

Autores

  • Breno Augusto Pereira dos Santos Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga (Fatec) – Taquaritinga – São Paulo –Brasil
  • Carlos Rodrigo Volante Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga (Fatec) – Taquaritinga – São Paulo –Brasil

DOI:

https://doi.org/10.31510/infa.v17i1.755

Palavras-chave:

Layout, Arranjo-Físico, Produtividade, Industria

Resumo

Historicamente o mercado têxtil vem se tornando cada vez mais competitivo. Com as recorrentes mudanças e tendências da moda, o foco passa a ser a velocidade com que as organizações conseguem se flexibilizar e atender as mudanças na demanda. Para isso, é necessário que as organizações tenham um arranjo físico adequado, capaz de tornar possível a realização dos pedidos de maneira eficiente, garantindo sua permanência no mercado, crescimento e lucratividade. Este artigo se propõe a discutir a importância que um bom arranjo físico e seu sistema de funcionamento tem para determinar a capacidade produtiva de uma empresa e tem como objetivo propor uma readequação no arranjo físico da empresa objeto de estudo. Foi realizado um estudo de caso em uma linha de produção do ramo têxtil, e apresentado uma proposta de melhoria. Ao final do estudo foi apresentado um novo arranjo físico para organização, acompanhado da análise dos resultados, permitindo concluir que um arranjo físico bem definido e planejado diminui os desperdícios e aumenta a lucratividade da organização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUIAR, G. F. et al. Simulações de arranjos físicos por produto e balanceamento de linha de produção: o estudo de um caso real no ensino para estudantes de engenharia. XXXV Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia. 2007. p.3. Disponível em: <http://www.abenge.org.br/cobenge/arquivos/12/artigos/117-Jurandir%20Peinado.pdf>. Acesso em : 14 jan. 2020.

CURY, Antony. Organização & Métodos. São Paulo: Atlas, 2000.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

JUNIOR, J. A. S.; ANDRADE, M. H. S.; CARMO, B. B. T.; SANTIAGO, K. J. ALBERTIN, M. R. Identificação do layout adequado em uma empresa de tecnologia eletrônica. Revista Eletrônica Sistemas & Gestão, p. 1-22, 2012.

KRAJEWSKI, L. J.; RITSMAN, L. P.; MALHOTRA, M. K. Administração de produção e operações.8. ed. Carolina do Sul: Pearson Education do Brasil, 2012. 619 p.

LONGARAY, A. A.; FIUSSEN D. M. N. Planejamento Sistemático de Layout Aplicado à Manufatura: Um Estudo de Caso no Polo Naval de Rio Grande. Revista Gestão Industrial, v. 10, n. 02: p. 284-304, 2014. Disponível em: <http://www.repositorio.furg.br/handle/1/5444/>. Acesso em: 19 dez. 2019

MARCONI, M. A; LAKATOS, E. M. Fundamentos da Metodologia Científica. São Paulo: Editora Atlas, 2003.

MARTINS, V. W. B.; FREITAS, F. F. T. Planejamento Sistemático de Layout (PSL): Análise do Layout de uma Empresa Produtora de Pneus Recapados. Revista Iberoamericana de Engenharia Industrial, v. 6, n. 11, p. 311-327, 2014. Disponível em: <http://incubadora.periodicos.ufsc.br/index.php/IJIE/article/view/682/>. Acesso em: 15 nov. 2019.

OLIVÉRIO, J. L. Projeto de fábrica: produtos, processos e instalações industriais. São Paulo: IBLC. 1985. p.23.
SLACK, N.; CHAMBRES, S..; JOHNSTON, R. Administração da produção. 3 ed. São Paulo: Atlas, 2009.

TREIN, F.; AMARAL, F. A Aplicação de Técnicas Sistemáticas para a Análise e Melhoria de Layout de Processo na Indústria de Beneficiamento de Couro. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, Anais. 21, 2001. Disponível em: <https://lume.ufrgs.br/handle/10183/1790/>. Acesso em: 01 dez. 2019.

VEIGA, C. H. A; CERESA, D. Mapeamento do fluxo de valor do desenvolvimento de mostruários: uma investigação em uma indústria de confecções. Redige. v. 4, n. 2, 2013.

Publicado

04/08/2020

Como Citar

SANTOS, B. A. P. dos; VOLANTE, C. R. PROPOSTA DE READEQUAÇÃO DE ARRANJO FÍSICO NA INDÚSTRIA TÊXTIL: um estudo de caso na linha de produção de confecção de roupas. Revista Interface Tecnológica, [S. l.], v. 17, n. 1, p. 590-602, 2020. DOI: 10.31510/infa.v17i1.755. Disponível em: https://revista.fatectq.edu.br/index.php/interfacetecnologica/article/view/755. Acesso em: 27 set. 2020.

Edição

Seção

Tecnologia em Produção Industrial