ESTUDO SOBRE O USO DE MADEIRAS PINUS EM EMBALAGENS DE ITENS DESTINADOS À EXPORTAÇÃO

Autores

  • David Alves Oliveira Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga (FATEC) – SP – Brasil
  • Marco Antonio Alves de Souza Junior Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga (FATEC) – SP – Brasil

Palavras-chave:

Embalagem, Estudo de caso, Engradado de Pinus

Resumo

Todo o processo de fabricação de um item ou produto é dividido em várias etapas, porém após sua conclusão, o mesmo deve estar em posse de seu usuário final. O processo de logística responsável por esta atividade deve manter o mesmo nível de eficiência do processo anterior para uma total satisfação do cliente, principalmente quando o item irá percorrer longas distâncias até o seu destino. Isto engloba a embalagem ao qual o mesmo será transportado. Visando uma comparação entre dois tipos de madeiras que podem ser utilizadas para a fabricação de embalagens de itens para exportação, o presente artigo destaca as vantagens e desvantagens da utilização de madeiras do tipo Pinus e Compensado naval. Para a coleta de dados, a metodologia empregada foi do tipo quantitativo e exploratório, classificando-se como um estudo de caso. Após a análise dos dados obtidos, encontra-se uma redução de aproximadamente 30% dos custos do processo de fabricação da embalagem e montagem junto ao produto, além de diminuição de cerca de 92% de quebras e defeitos na estrutura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Referências

BALLOU, R. H. Logística empresarial: transportes, administração de materiais e distribuição física. São Paulo: Atlas, 2010
BRASIL, C. V. de M.; CAMPOS, L. F. R. Logística teia de relações. Curitiba: Ibpex, 2007.
CARVALHO, M. A. Engenharia de Embalagem. São Paulo: Novatec Editora Ltda, 2008.
CHIAVENATO, I. Gestão de pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações. 19. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1999.
CONVENCIÓN INTRNACIONAL DE PROTECCIÓN FITOSANITARIA. Quiéne somos. Disponível em: https://www.ippc.int/es/about/who-we-are/. Acesso em: 24 fev. 2019.
FAO. Normas Internacionais para Medidas Fitossanitárias nº 15: Regulamentação das embalagens de madeira utilizadas no comércio internacional. 2009. Disponível em: < https://www.ippc.int/largefiles/NIMF_15_2009_PTFINAL_0.pdf> Acesso em: 04 fev. 2019.
FLEURY, M. T. L. (Org.). As pessoas na organização. 2. ed. São Paulo: Editora Gente, 2002.
GIL, A. C. Gestão de pessoas: enfoque nos papéis profissionais. 1. ed. 6. reimp. São Paulo: Atlas, 2006.
GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. 12. reimpr. São Paulo: Atlas, 2009.
LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos metodologia científica. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2001.
MESTRINER, F. Gestão Estratégica de embalagem: uma ferramenta de competitividade para a empresa. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.
MOURA, R. A. Manual de movimentação de materiais: embalagem, acondicionamente, unitização & conteinerização. São Paulo: Instituto de Movimentação e Armazenagem de Materiais, 1990.
MOURA, R. A.; BANZATO José Maurício. Embalagem Unitização & Conteinerização. São Paulo: IMAM, 2000.
ROCHA, A. C. Teoria e prática do Brasil. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1999

Publicado

30/06/2019

Como Citar

OLIVEIRA, D. A.; SOUZA JUNIOR, M. A. A. de. ESTUDO SOBRE O USO DE MADEIRAS PINUS EM EMBALAGENS DE ITENS DESTINADOS À EXPORTAÇÃO. Revista Interface Tecnológica, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 715-723, 2019. Disponível em: https://revista.fatectq.edu.br/index.php/interfacetecnologica/article/view/533. Acesso em: 29 out. 2020.

Edição

Seção

Pós-Graduação em Gestão da Produção Industrial