ESTUDO COMPARATIVO ENTRE O MÉTODO SIMPLEX E O MÉTODO EVOLUTIONARY PARA A OTIMIZAÇÃO DE ROTAS DE DISTRIBUIDORES NA CIDADE DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SP

  • Carolaine Milena Paulino da Silva Faculdade de Tecnologia de Bebedouro (FATEC) – SP – Brasil
  • Carlos Eduardo Vechiato Neves Faculdade de Tecnologia de Bebedouro (FATEC) – SP – Brasil
  • Douglas José de Oliveira Faculdade de Tecnologia de Bebedouro (FATEC) – SP – Brasil
  • Eduardo Fraiha Neto Faculdade de Tecnologia de Bebedouro (FATEC) – SP – Brasil
  • Oswaldo Lázaro Mendes Faculdade de Tecnologia de Bebedouro (FATEC) – SP – Brasil
Palavras-chave: Método simplex, Método evolutionary, Roteirização

Resumo

Esse trabalho tem por objetivo demonstrar de uma maneira compreensível a comparação entre os métodos simplex e evolutionary para encontrar o caminho mais curto em três pontos de partidas estratégicos na cidade de São José do Rio Preto - SP. Para a elaboração do trabalho foram desenvolvidas algumas rotas procurando-se os caminhos mais curtos entre quinze distribuidoras de bebidas em diferentes pontos estratégicos da cidade utilizando como ferramenta o Solver do Excel. Durante o desenvolvimento dos roteiros utilizando o método simplex, foi observado o grau exponencial de dificuldade em montar o problema no Excel, utilizando apenas um importante ponto de partida para três distribuidoras de bebidas. Já no método evolutionary percebeu-se que podem ser utilizados mais pontos de partidas para uma quantidade maior de distribuidoras de bebidas. Conclui-se que no dia a dia de uma empresa que necessita de agilidade na distribuição, há ferramentas como os métodos utilizados para a execução de sua logística de distribuição que fornecem informações relevantes para a tomada de decisões.

Publicado
30/12/2018
Como Citar
SILVA, C. M. P.; NEVES, C. E. V.; OLIVEIRA, D. J.; NETO, E. F.; MENDES, O. L. ESTUDO COMPARATIVO ENTRE O MÉTODO SIMPLEX E O MÉTODO EVOLUTIONARY PARA A OTIMIZAÇÃO DE ROTAS DE DISTRIBUIDORES NA CIDADE DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SP. Revista Interface Tecnológica, v. 15, n. 2, p. 265-275, 30 dez. 2018.
Seção
Tecnologia em Produção Industrial