[1]
G. L. de Paulo Franca e L. de J. Rodrigues Barros, “SITUAÇÃO ATUAL DE RESÍDUOS ELETRÔNICOS NO BRASIL”, INFA, vol. 14, nº 1, p. 96-104, jul. 2017.