TECNOLOGIA ESTRATÉGICA

  • Vinícius Salatin Corrêa Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza. Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga
Palavras-chave: Indústrias, Pesquisa e Desenvolvimento, Engenharia, Inovação tecnológica

Resumo

O regimento das indústrias hoje vai mais além do que uma simples produção e atendimento à demanda. Pensar estrategicamente nos negócios é se preocupar com as incertezas tecnológicas que o futuro nos proporciona. Quanto maior a aposta das empresas no ramo de Pesquisa e Desenvolvimento maior a chance de conquista mercadológica e fortalecimento entre as empresas rivais. Exemplos de países como a China e a Coréia do Sul são tomados neste artigo como forma de comparação da produção tecnológica de países com tecnologia de ponta e de países que ainda estão amadurecendo sua ideia de tecnologia, como é o caso do Brasil. Por meio deste foi possível analisar a maneira estratégica como a educação é tratada nos países e como a engenharia tende a ser um ramo promissor. Outro elemento presente na discussão dessa ideia é o investimento público e privado destinado ao ramo de Pesquisa e Desenvolvimento, pois para as empresas ele se torna força propulsora e atua como transformador de ideias em projetos reais e acessíveis. No presente trabalho também consta uma tese com o exemplo da batalha judicial entre a Motorola Mobility e a Google sobre a importância do verdadeiro sentido do registro de patentes e o que isso pode significar para grandes corporações. A inovação tecnológica é abordada em diferentes âmbitos, porém sempre voltada para a necessidade do mundo, já que o objetivo principal de uma inovação é o de suprir alguma lacuna da humanidade ou melhorar algum processo já existente.

Como Citar
CORRÊA, V. TECNOLOGIA ESTRATÉGICA. Revista Interface Tecnológica, v. 10, n. 1, p. 69-82, 11.
Seção
Tecnologia em Produção Industrial