QUALIDADE DE VIDA E MOTIVAÇÃO NO TRABALHO

fator decisivo no desempenho organizacional

Autores

  • Tatiane Roberta dos Santos Pires Lorando Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga (Fatec) – Taquaritinga – São Paulo – Brasil
  • Rodrigo Sapienza Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga (Fatec) – Taquaritinga – São Paulo – Brasil
  • Elvio Carlos da Costa Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga (Fatec) – Taquaritinga – São Paulo – Brasil

DOI:

https://doi.org/10.31510/infa.v17i1.760

Palavras-chave:

Gestão de Pessoas, Motivação, Qualidade de Vida no Trabalho

Resumo

Nas organizações empresariais a qualidade de vida e a motivação corroboram para um ambiente com uma produção proveitosa, uma ação mais competitiva e principalmente uma vida saudável dos colaboradores. O foco na Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) vem sendo aspecto fundamental de várias empresas, as quais se baseiam no bem-estar de cada colaborador e na eficiência organizacional, atuação e cooperação entre colaboradores e empresa, onde a alta gestão. Acompanhando o ambiente empresarial competitivo, as organizações procuram desenvolver condições mais humanizadas, promovendo a satisfação de toda a equipe, ponto que será fundamental para o aumento da produção e proporcionará processos internos qualitativos, considerando-se o entrelaçamento entre a organização/empresa, a qualidade de vida no trabalho e a produtividade. Para o desenvolvimento deste artigo foram realizadas pesquisas bibliográficas, que nos mostraram que em relação à competitividade, é fundamental que as atividades produtivas estejam ligadas à estrutura organizacional, otimizando recursos, por isso a QVT demonstra a importância de observar as necessidades da equipe e promove melhorias com o intuito de motivar e satisfazer os colaboradores que dão retorno em qualidade e produtividade, promovendo assim o sucesso da empresa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BOCK, S. D. Orientação profissional: abordagem sócio-histórica. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

CHIAVENATO, I. Introdução à teoria geral da administração: uma visão abrangente da moderna administração das organizações. 7. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

______. Gestão de pessoas - 2. Ed. Rio de Janeiro: Campus, 2004.

______. Recursos humanos: O capital humano das organizações. 8. Ed. São Paulo: Atlas, 2006.

______. Gestão de Pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

______. Gestão de pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações. 4. ed. Barueri, SP: Manole, 2014.

COUTINHO, M. C. Sentidos do trabalho contemporâneo: as trajetórias identitárias como estratégia de investigação. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, v. 12, n. 2, p. 189-202, 2009.

GIL, A. C. Gestão de Pessoa: enfoque nos papéis profissionais. São Paulo: Atlas, 2001.

______. Gestão de pessoas: enfoque nos papéis profissionais. 7ª reimpressão. São Paulo: Atlas, 2007.

KOTLER, P. Administração de Marketing. 10ª Edição, 7ª reimpressão – Tradução Bazán Tecnologia e Lingüística; revisão técnica Arão Sapiro. São Paulo: Prentice Hall, 2000.

KOTLER, P.; KELLER, K. L. Administração de marketing. 12. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006.

LACERDA, A. R. F. Teoria Geral da Administração. Abril/2009.

LIMONGI-FRANÇA, A. C. Práticas de Recursos Humanos – PRH: conceitos, ferramentas e procedimentos. São Paulo: Atlas, 2007.

MACEDO, N. D. Iniciação à pesquisa bibliográfica. Guia do estudante para a fundamentação do trabalho de pesquisa. 2ª ed. Revista, São Paulo: Edição Loyola, 1994.

MANCUSO, R C.. Ação civil pública trabalhista. 5. ed., São Paulo: Ed. RT, 2002.

MAXIMIANO, A. C. A. Teoria geral da administração: da revolução urbana à revolução digital. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2004.

MONTANA, P. J.; CHARNOV, B. H. Administração. Série Essencial. 2 ed. São Paulo: Saraiva, 2003.

MOTTA, P. R. Gestão contemporânea: a ciência e a arte de ser dirigente. Rio de Janeiro: Record, 2001.

ORLICKAS, E. Consultoria interna de recursos humanos: Pesquisa e benchmarking em empresas de ponta. São Paulo: Futura, 2001.

ROBBINS, S. P. Comportamento organizacional. 11 ed. São Paulo: Pearson, 2005.

RODRIGUES, M. V. C. Qualidade de vida no trabalho: evolução e análise no nível gerencial. 2. ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 1994.

_______ Qualidade de Vida no Trabalho: Evolução e Análise no nível gerencial. 11 ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2008.

SAMPAIO, J. R. Qualidade de Vida, Saúde Mental e Psicologia Social: estudos contemporâneos II, 1999.

SIQUEIRA, M. M.(org.). Medidas do comportamento organizacional: ferramenta de diagnóstico e de gestão. Porto Alegre: Artmed, 2008.

STONER, J. A. F.; FREEMAN, R. E. Administração. 5 ed. Rio de Janeiro: Prentice Hall do Brasil, 1999.

Publicado

04/08/2020

Como Citar

LORANDO, T. R. dos S. P.; SAPIENZA, R.; COSTA, E. C. da. QUALIDADE DE VIDA E MOTIVAÇÃO NO TRABALHO: fator decisivo no desempenho organizacional. Revista Interface Tecnológica, [S. l.], v. 17, n. 1, p. 363-375, 2020. DOI: 10.31510/infa.v17i1.760. Disponível em: https://revista.fatectq.edu.br/index.php/interfacetecnologica/article/view/760. Acesso em: 1 out. 2020.

Edição

Seção

Tecnologia em Agronegócio