COMO A IMPLEMENTAÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO (BPF) AUXILIAM A COMPETITIVIDADE E A QUALIDADE EM UMA INDÚSTRIA

Autores

  • David Vinicios Chiarello Buzinaro Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga (FATEC) –SP –Brasil
  • Angelita Moutin Segoria Gasparotto Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga (FATEC) –SP –Brasil

DOI:

https://doi.org/10.31510/infa.v16i2.662

Palavras-chave:

BPF, GMP, Gerenciamento, Indústria, Produção

Resumo

As empresas estão buscando a implantação das Boas Práticas de Fabricação (BPF) devido à competitividade, melhoria contínua, exigência do mercado consumidor e, principalmente, a higiene alimentar dos seus produtos. Os sistemas de gestão, controle de qualidade e treinamentos dos colaboradores são, atualmente, um diferencial na indústria alimentícia. A qualidade é a principal característica das indústrias. Esse fato se dá devido à mudança de postura dos consumidores mundialmente, os quais procuram produtos que tragam e transmitam segurança, sejam atraentes e, além disso, sejam fabricados de forma sustentável. Nesse contexto, existe uma forma para que se possa obter e garantir a qualidade e a garantia nas indústrias: a implementação do programa de Boas Práticas de Fabricação - BPF’s.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBUQUERQUE, Daniela. Introdução às boas práticas de fabricação (BPF). 2013. Disponível em: <https://certificacaoiso.com.br/introducao-as-boas-praticas-de-fabricacao-bpf/>. Acesso em: 15 jul. 2019.
BERTOLINO, Marco Túlio. Gerenciamento da Qualidade na Indústria de Alimentos. São Paulo: Artmed, 2010. 320 p.
BRASIL.Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução-RDC n°. 216, de 15 de setembro de 2004. Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Boas práticas para serviços de alimentação. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2004. Disponível em: < http://portal.anvisa.gov.br/documents/33916/388704/RESOLU%25C3%2587%25C3%2583O-RDC%2BN%2B216%2BDE%2B15%2BDE%2BSETEMBRO%2BDE%2B2004.pdf/23701496-925d-4d4d-99aa-9d479b316c4b >. Acesso em: 15 jul. 2019.
BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Regularização de Empresas: Alimentos. 2004. Disponível em: <http://portal.anvisa.gov.br/registros-e-autorizacoes/alimentos/empresas/boas-praticas-de-fabricacao>. Acesso em: 15 jul. 2019.
BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução-RDC n° 275, de 21 de outubro de 2002. Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Procedimentos Operacionais Padronizados aplicados aos Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos e a Lista de Verificação das Boas Práticas de Fabricação em Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2002. Disponível em: < http://portal.anvisa.gov.br/documents/10181/2718376/RDC_275_2002_COMP.pdf/fce9dac0-ae57-4de2-8cf9-e286a383f254>. Acesso em: 15 jul. 2019.
BRASIL. Lei n° 9.782, de 26 de janeiro de 1999. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 1999. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9782.htm >. Acesso em: 15 jul. 2019.
BRASIL.Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância Sanitária. Portaria n° 326, de 30 de julho de 1999. Regulamento técnico sobre as condições higiênico-sanitárias e de boas práticas de fabricação para estabelecimentos produtores/industrializadores de alimentos. Brasília, Diário Oficial da República Federativa do Brasil, 1 ago. 1999 Disponível em: <http://portal.anvisa.gov.br/documents/33916/388704/Portaria%2BSVS-MS%2BN.%2B326%2Bde%2B30%2Bde%2BJulho%2Bde%2B1997.pdf/87a1ab03-0650-4e67-9f31-59d8be3de167>. Acesso em: 15 jul. 2019.
COSTA, Mariana de Almeida. Gestão Estratégica: uma oportunidade para melhorar o resultado operacional. 2013. 104 f. Monografia (Especialização) - Curso de Engenharia de produção, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2013. Disponível em: <http://www.ufjf.br/ep/files/2014/07/2012_3_Mariana.pdf>. Acesso em: 04 jul. 2019.
GARVIN, D. A. Gerenciando a qualidade: a visão estratégica e competitiva. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2002.
GENTA, T. M. S.; MAURICIO, A. A.; MATIOLI, G. Avaliação das Boas Práticas através de check-list aplicado em restaurantes self-service da região central de Maringá, Estado do Paraná. Acta Scientiarum. Health Sciences, Maringa, v. 27, n. 2, p. 151-156, 2005.
GIORDANO, J.C. Riscos à qualidade de alimentos e fármacos. Revista Controle de Contaminação, v. 6, n. 54, p. 22-25, 2003.
LIMA, R. “Procedimento Operacional Padrão” - A Importância de se padronizar tarefas nas BPLC. Curso de BPLC – Belém, 2005.
MARCHIORI, Cristiane. Diagnóstico e implantação de boas práticas de fabricação em uma indústria de conservas do município de Francisco Beltrão-PR. 2015. 65 f. Monografia (Especialização) - Curso de Gestão da Qualidade na Tecnologia de Alimentos, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Francisco Beltrão, 2015. Disponível em: <repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/7185/1/FB_GQTA_2014_05.pdf>. Acesso em: 15 jul. 2019.

MARTINS, R. Procedimento Operacional Padrão (POP). 2013.Disponível em: <http://www.blogdaqualidade.com.br/procedimento-operacional-padrao-pop/.> Acesso em: 15 jul. 2019.
ROSSITER, K.W.L. Programa 5S: Alicerce para implantação de Sistemas e Boas Práticas de Fabricação na Indústria de Alimentos. Recife, Universidade Federal de Pernambuco: monografia de especialização, 2008. Disponível em:< http://www.repositorio.ufpe.br/bitstream/handle/123456789/5386/arquivo602_1.pdf?sequ ence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 15 jul. 2019.
SILVA, E.M. Implantação das Boas Práticas de Fabricação em uma agroindústria de produtos cárneos embutidos no município de São Jerônimo – RS. Trabalho de conclusão (Curso de Graduação Tecnológico em Planejamento e Gestão para o Desenvolvimento Rural). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Arroio dos Ratos, 2011. Disponível em: <https://gepsaa.wordpress.com/2013/03/04/boas-praticas-de-fabricacao-em-agroindustrias/>. Acesso em: 15 jul. 2019.
VERONEZI, Camila. A importância da implantação das Boas Práticas de Fabricação na indústria de alimentos. Curitiba: Revista Saúde e Desenvolvimento, v. 8, n. 4, 2015. Semestral. Disponível em: <https://www.uninter.com/revistasaude/index.php/saudeDesenvolvimento/article/view/410>. Acesso em: 15 jul. 2019.

Publicado

21/12/2019

Como Citar

BUZINARO, D. V. C.; GASPAROTTO, A. M. S. COMO A IMPLEMENTAÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO (BPF) AUXILIAM A COMPETITIVIDADE E A QUALIDADE EM UMA INDÚSTRIA. Revista Interface Tecnológica, [S. l.], v. 16, n. 2, p. 371-382, 2019. DOI: 10.31510/infa.v16i2.662. Disponível em: https://revista.fatectq.edu.br/index.php/interfacetecnologica/article/view/662. Acesso em: 5 ago. 2020.

Edição

Seção

Tecnologia em Produção Industrial