CIÊNCIA E TECNOLOGIA NA AGRICULTURA MEXICANA

  • Renato Rodrigues Lugui Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga (FATEC) – SP – Brasil
  • Nathalia Maria Soares Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga (FATEC) – SP – Brasil
Palavras-chave: México, Dsesenvolvimento, Agricultura, Econômia, Segurança

Resumo

Este artigo analisa e discute o surgimento de tipos de agricultura a científica, a industrial, a alternativa e a revolução verde. Os três primeiros tipos foram desenvolvidos nos países industrializados, enquanto a revolução verde teve lugar em países em desenvolvimento. A necessidade de desenvolver quadros legais sobre o uso dos recursos naturais na agricultura, para limitar os danos para os processos do ecossistema de eutrofização, poluição de aquíferos, erosão, salinização e emissão de gases de efeito estufa. Também é discutido que a pesquisa mexicana historicamente focado no mais produtivo agroecossistema, com pouca atenção para a marginal agroecossistemas e ignorando a etnoagricultura. O paradigma da agricultura alternativa é apresentado como, pertencente à linhagem da agricultura científica, economicamente viável para a pequena agricultura, e a menos agressivo contra o ecossistema natural. E por isso, sugeriu que a adoção desse paradigma ajudaria resgatar o setor de pequenas propriedades agrícolas e a segurança alimentar.

Publicado
30/12/2018
Como Citar
LUGUI, R. R.; SOARES, N. M. CIÊNCIA E TECNOLOGIA NA AGRICULTURA MEXICANA. Revista Interface Tecnológica, v. 15, n. 2, p. 436-445, 30 dez. 2018.
Seção
Tecnologia em Agronegócio