UM ESTUDO SOBRE A IMPORTÂNCIA DO APPCC - ANÁLISE DE PERIGOS E PONTOS CRÍTICOS DE CONTROLE - NA INDÚSTRIA DE ALIMENTOS

Autores

  • Sara da Silva Quintino Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga (FATEC) – SP – Brasil
  • Daniela Rodolpho Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga (FATEC) – SP – Brasil

DOI:

https://doi.org/10.31510/infa.v15i2.452

Palavras-chave:

Boas Práticas de Fabricação, Qualidade, Ponto Crítico de Controle

Resumo

A produção de alimentos seguros se tornou uma necessidade nas empresas devido à concorrência de mercado e exigência do consumidor. Garantir a qualidade de um alimento se refere ao atendimento das especificações e características do produto, enquanto a garantia de produção de um alimento seguro se refere à análise de todo o processo, prevenindo as causas de contaminação física, química ou microbiológica, que podem afetar a saúde do consumidor. Assim, o presente estudo consiste em uma análise bibliográfica e documental que mostra os princípios e a importância do sistema APPCC - Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle - na indústria de alimentos. O APPCC é uma metodologia que direciona esse estudo, para detecção dos pontos críticos de controle na fabricação de alimentos e possibilita o monitoramento, eliminação ou diminuição dos riscos/perigo a um nível aceitável no processo produtivo. As boas práticas de fabricação e os procedimentos operacionais padronizados são pré-requisitos para a implantação do APPCC, uma vez que visam à qualidade do produto desde a entrada da matéria-prima, processamento, chegando até o consumidor. Portanto, a implantação do APPCC na indústria alimentícia propicia uma série de benefícios, tais como aumento da qualidade do produto, maior produtividade com menor índice de retrabalho e redução do número de reclamações de consumidores, além de proporcionar um diferencial à indústria, quanto à certificação de qualidade, valorizando seu produto e proporcionando sua aceitação no mercado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NORMA BRASILEIRA ABNT NBR ISO 22000:2006. Sistemas de gestão da segurança de alimentos. Requisitos para qualquer organização na cadeia produtiva de alimentos. Disponível em:<https://pt.scribd.com/doc/57384728/NBR-ISO-22000-2006-Sistema-de-gestao-da-seguranca-de-alimentos>. Acesso em 17 de set. 2018.

ASSUNÇÃO, D. Construindo o Hábito da Excelência. Sociedade Brasileira de Coaching, 2013. Disponível em<https://www.sbcoaching.com.br/blog/colaboradores/construindo-habito-excelencia/>. Acesso em 17 de jun.2018.

BRASIL. Resolução de Diretoria Colegiada - RDC Nº 275, de 21 de outubro de 2002. Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Procedimentos Operacionais Padronizados aplicados aos Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos e a Lista de Verificação das Boas Práticas de Fabricação em Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos. Diário Oficial da União. Brasília, DF. 23 de outubro de 2002. Seção 1, pág. 126. Disponível em:<http://portal.anvisa.gov.br>. Acesso em: 17 de set. 2018.

BRASIL. Portaria nº 46, de 10 de fevereiro de 1998. Sistema de Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle - APPCC a ser implantado, gradativamente, nas indústrias de produtos de origem animal sob o regime do Serviço de Inspeção Federal - SIF, de acordo com o Manual Genérico de Procedimentos. Diário Oficial da União. Brasília, DF. 16 de março de 1998. Seção 1, pág. 24. Disponível em:<http://sistemasweb.agricultura.gov.br/sislegis/action/detalhaAto.do?method=consultarLegislacaoFederal. Acesso em: 02 de abr. 2018.

BRASIL. Portaria nº 326, de 30 de julho de 1997. Regulamento Técnico; "Condições Higiênico-Sanitárias e de Boas Práticas de Fabricação para Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos". Diário Oficial da União. Brasília, DF. 01 de agosto de 1997. Disponível em:<http://bvsms.saude.gov.br>. Acesso em: 17 de set.2018.

BRASIL. Portaria nº 1428, de 26 de novembro de 1993. Aprova, na forma dos textos anexos, o "Regulamento Técnico para Inspeção Sanitária de Alimentos", as "Diretrizes para o Estabelecimento de Boas Práticas de Produção e de Prestação de Serviços na Área de Alimentos" e o "Regulamento Técnico para o Estabelecimento de Padrão de Identidade e
“Qualidade (PIQ´s) para Serviços e Produtos na Área de Alimentos”. Determina que os estabelecimentos relacionados à área de alimentos adotem, sob responsabilidade técnica, as suas próprias Boas Práticas de Produção e/ou Prestação de Serviços, seus Programas de Qualidade, e atendam aos PIQ\'s para Produtos e Serviços na Área de Alimentos. Diário Oficial da União. Brasília, DF. 02 de dezembro de 1993. Disponível em:<http://portal.anvisa.gov.br>. Acesso em: 17 de set. 2018.

COLLETO, D. Gerenciamento da Segurança de Alimentos e da Qualidade na Indústria de Alimentos. Monografia apresentada ao curso de Engenharia de Alimentos, na Universidade Federal do rio Grande do Sul UFRGS. Porto Alegre – RS. 2012. 46.

CUNHA, F. M.; MAGALHÃES, M. B.; BONNAS, D. S.; Desafios da gestão da segurança dos alimentos em unidades de alimentação e nutrição no Brasil: uma revisão. CONTEXTOS DA ALIMENTAÇÃO v.1, n. 2. p.3-14, 2013.

FAO/WHO FOOD STANDARDS CODEX ALIMENTARIUS, Versão Portuguesa. CAC/RCP 1-1969 Rev. 4 – 2003. Disponível em: <http://www.actionlive.pt/docs/actionalimentar/codex_alimentarius_VersaoPortuguesa_2003.pdf. Acesso em 07 de jun. 2018.

FERNANDES, W. A. O Movimento da Qualidade no Brasil, editora ESSENTIAL IDEA PUBLISHING, 2011. 161 páginas. ISBN: 978-85-64543-00-3.

FIGUEIREDO, V. F.; COSTA N.; Implantação do HAPPCC na indústria de alimentos. GESTÃO & PRODUÇÃO v.8, n.1, p.100-111, 2001.

FORSYTHE, S. J. Microbiologia de segurança alimentar. Porto Alegre: Artmed, 2002. p. 424.

FURTINI, L. L. R.; ABREU, L.R. Utilização de APPCC na indústria de alimentos. CIÊNCIA E TECNOLOGIA. v.30, n.2, p.358-363, 2006.

LONGO, R.M.J. Gestão da Qualidade: Evolução Histórica, Conceitos Básicos e Aplicação na Educação. Trabalho apresentado no seminário de Gestão da Qualidade na Educação: Em Busca da Excelência, no Centro de Tecnologia de Gestão Educacional, SENAC - SP. Brasília, 1996. TEXTO PARA DISCUSSÃO Nº 397. Disponível em:<http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/1722/1/td_0397.pdf. Acesso em 17 de mai. 2018.

LOPES, J.C. Gestão da Qualidade: Decisão ou Constrangimento Estratégico. Mestrado apresentado pelo curso de Estratégia Empresarial, na Universidade Europeia Laureate International Universities. Lisboa, 2014. 76 páginas.

PIMENTA, S. Noções de HACCP. Escola Secundária Augusto Gomes Formação de Adultos - Curso EFA Dupla Certificação, 2013-2014, p. 1-15.

TOLEDO, J.C., BATALHA, M.O., AMARAL, D.C. Qualidade na Indústria Agroalimentar: situação atual e perspectivas. Revista de Administração de Empresas, v.40, n.2, 2000, p.90-101.

Publicado

30/12/2018

Como Citar

QUINTINO, S. da S.; RODOLPHO, D. UM ESTUDO SOBRE A IMPORTÂNCIA DO APPCC - ANÁLISE DE PERIGOS E PONTOS CRÍTICOS DE CONTROLE - NA INDÚSTRIA DE ALIMENTOS. Revista Interface Tecnológica, [S. l.], v. 15, n. 2, p. 196-207, 2018. DOI: 10.31510/infa.v15i2.452. Disponível em: https://revista.fatectq.edu.br/index.php/interfacetecnologica/article/view/452. Acesso em: 9 jul. 2020.

Edição

Seção

Tecnologia em Produção Industrial