FONTES RENOVÁVEIS E O SISTEMA ELÉTRICO BRASILEIRO

um estudo sobre os sistemas fotovoltaicos interligados à rede nacional

  • Alirio Donizete Forquim Faculdade de Tecnologia de São Carlos (FATEC) – SP – Brasil
  • Martin Mundo Neto Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga (FATEC) – SP – Brasil
Palavras-chave: Sistema fotovoltaico On-Grid, Sistema Elétrico Brasileiro, Energias Renováveis

Resumo

Este artigo tem como objetivo contribuir para o entendimento das conexões entre o Sistema Elétrico Nacional (SEN) com os sistemas de produção de energia elétrica fotovoltaica residencial. Foi realizada uma revisão da literatura com objetivo de resgatar eventos que contribuíram para a configuração da matriz energética brasileira. Após a crise energética de 2001, oportunidades de negócio surgiram para produção de energia elétrica a partir de outras fontes renováveis como, a biomassa, eólica e fotovoltaica. O incentivo e a interligação destes sistemas alternativos ao SEN foram sendo desenvolvidos alinhados aos interesses dos agentes mais influentes do campo e nos moldes que convinham àqueles que, historicamente, dominam o SEN. Assim, a prioridade foi dada aos sistemas (de biomassa, eólico e fotovoltaico) que produzem em grande escala. A interligação dos sistemas fotovoltaicos destinados às unidades familiares possui poucos incentivos, pois a venda do excedente não é possível, há apenas a possibilidade de troca, num esquema de compensação limitado ao mesmo volume consumido pela unidade produtora do SEN.

Publicado
30/06/2018
Como Citar
FORQUIM, A. D.; NETO, M. M. FONTES RENOVÁVEIS E O SISTEMA ELÉTRICO BRASILEIRO. Revista Interface Tecnológica, v. 15, n. 1, p. 172-182, 30 jun. 2018.
Seção
Tecnologia em Produção Industrial / Gestão Empresarial