GESTÃO DE PESSOAS E DO CONHECIMENTO COMO DIFERENCIAIS COMPETITIVOS E PRODUTIVOS NAS ORGANIZAÇÕES.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31510/infa.v18i1.1162

Palavras-chave:

Gestão de Pessoas, Gestão do Conhecimento, Capital Intelectual

Resumo

Os estudos sobre Gestão de Pessoas e Gestão do Conhecimento nas organizações apontam os mesmos como fatores decisivos na competitividade no atual mercado globalizado. As condições capacitadoras propiciadas por uma boa gestão de pessoas e gestão do conhecimento, permitem que as organizações tenham ideia de como aumentar a criação e a disseminação do conhecimento a fim de manter a vantagem competitiva. Este trabalho terá como o objetivo conhecer a nova lógica de gestão das pessoas nas organizações em busca do conhecimento e os novos papéis que os trabalhadores assumem nesse contexto como diferencial competitivo. Através de pesquisa bibliográfica foram apresentados os conceitos de gestão de pessoas, gestão do conhecimento, capital intelectual e também exemplos bem sucedidos de uma boa gestão nesse tema. Ao final foi possível constatar que as organizações entendem que a gestão de pessoas quando bem executada torna-se um diferencial competitivo em diversos setores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Moacir José bertaci, Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga – Taquaritinga – São Paulo – Brasil

Studies on PeopleManagement and Knowledge Management in organizations point to them as decisive factors in competitiveness in the current globalized market. The enabling conditions provided by good people management and knowledge management, allow organizations to have an idea of ​​how to increase the creation and dissemination of knowledge in order to maintain competitive advantage. This work will aim to understand the new logic of people management in organizations in search of knowledge and the new roles that workers assume in this context as a competitive differential. Through bibliographic research, the concepts of people management, knowledge management, intellectual capital and successful examples of good management in this topic were presented. In the end it was possible to verify that the organizations understand that the management of people when well executed becomes a competitive differential in several sectors.

Referências

ANTUNES, Maria Thereza Pompa; MARTINS Eliseu. Capital intelectual: verdades e mitos.

Revista Contabilidade & Finanças. v. 13 n. 29. São Paulo, 2002.

CALVOSA, Marcello; ALVARENGA, Murilo. Os funcionários percebem a gestão do

conhecimento no ambiente de trabalho? Estudo de caso na realidade de uma pequena

empresa. Revista UNIABEU Belford Roxo v.3 n.5 p. 203-229. set./dez. 2010.

CARVALHO, Fernando Nitz de; Ensslin, Sandra Rolim. A evidenciação voluntária do

Capital Intelectual: um estudo revisionista do contexto internacional. Contabilidade Vista &

Revista , v. 17, n. 4, p. 55-72, out./ dez. 2006.

CASTRO, A. B.C.de, BRITO, L. M. P.. Gestão do Conhecimento: como as organizações

Públicas do Brasil percebem esse modelo? Revista Gestão Industrial. 12(2), 59‐72. 2016.

CASTRO, A. B. C.; BRITO, L. M. P.; VARELA, J. H. de S. A ressignificação da área de gestão de pessoas e os novos papéis das pessoas e das organizações. HOLOS, vol. 4, 2017, pp. 408-423. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte Natal, Brasil.

DUTRA, Joel Souza. Gestão de pessoas: modelos, processos, tendências e perspectivas. 1.

ed. São Paulo: Atlas, 2002.

FLEURY, Maria Tereza Leme; FLEURY, Afonso. Construindo o conceito de competência.

RAC – Revista de Administração Contemporânea – Edição Especial. p. 183-196, 2001.

FRANÇA, A. C. L. Práticas de Recursos Humanos: conceitos, ferramentas e procedimentos. São Paulo: Atlas.2007.

GALHANO, Patrícia Portela Prado; NAKATA, Lina Eiko. Gestão do Conhecimento em

estruturas inovativas: um estudo de caso. Dimens. Empres. v. 9,n.2,p.35-47,jul./dez.2011.

Disponível em: http://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=3965874. Acesso em: 21 jan.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos da metodologia

científica. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

LASTRES, Helena; Albagli, Sarita. Informação e globalização na era do conhecimento.

Rio de Janeiro: Campus, 1999.

LEONARDO, Jeferson Marco Antonio. A guerra do sucesso pelos talentos humanos. Revista

Produção. v. 12, n. 2, p. 42-53. 2002. Disponível em:

http://www.scielo.br/pdf/prod/v12n2/v12n2a05.pdf. Acesso em: 20 jan. 2013.1

LEONE, N.M. de C. P. G. Evidências empíricas em face das referências teóricas nas funções estratégicas da gestão de pessoas. In: Brito, L. M. P. (Org.). Práticas de pesquisa em gestão de pessoas 2: a tênue separação entre o público e o privado no Brasil. Fortaleza: Edições UFC.2007.

LOBO, Eduardo. 5 casos famosos de boa gestão de pessoas em grandes empresas. QR POINT – Gestão e Sistemas de RH. 4 abr 2020.

Disponível em: https://www.qrpoint.com.br/blog/5-casos-famosos-de-gestao-de-pessoas-em-grandes-empresas/. Acesso em: 02 abr. 2021

MATTOS, Luciano Aparecido de. Gestão estratégica do conhecimento: um estudo de caso.

Dissertação (Mestrado). Centro Universitário, Curitiba-PR, 2010.

MORAES, Evelise Quadrado de. Uma introdução sobre gestão do conhecimento. Revista do

TCU – Tribunal de Contas da União. ano 35, n.105, p.55-59, jul./set. 2005.

MUNDIM, A.P.F.; RICARDO,E.J. Educação Corporativa. Rio de Janeiro: Qualitymark. 2004.

NONAKA, Ikujiro. A empresa criadora de conhecimento. In: Gestão do Conhecimento. 8. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2000. p.27-49. (Série Harvard BussinessReview).

PELISSARI, Anderson Soncini. O perfil de qualificação profissional dos empresários das

pequenas empresas de confecções da glória – Vila Velha-ES. Dissertação (Mestrado em

Engenharia de Produção). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

REZENDE, Yara. Informação para negócios: os novos agentes do conhecimento e a gestão do

capital intelectual. Ci. Inf., Brasília, v. 31, n. 1, p. 75-83, jan./abr. 2002.

ROGGERO, Rosemary. Qualificação e Competência: um diálogo necessário entre sociologia,

gestão e educação para alimentar as práticas pedagógicas na formação profissional. Boletim

Técnico do Senac, 2003

SANTIAGO JÚNIOR, José Renato Sátiro. O Desenvolvimento de uma metodologia para

gestão do conhecimento em uma empresa de construção civil. 2002.127f.Dissertação

(Mestrado) – Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Departamento de Engenharia

de Produção. São Paulo, 2002.

SILVA, Sérgio Luis da. Gestão do conhecimento: uma revisão crítica orientada pela

abordagem da criação do conhecimento. Ci. Inf., Brasília, v. 33, n. 2, p. 143-151, maio/ago.

SPENDER, J.C. Gerenciando sistemas de conhecimento. In: FLEURY, Maria Tereza Leme. Gestão estratégica do conhecimento. São Paulo: Atlas, 2001. p. 27-49.

TOLEDO, Luciano Augusto; LOURES, Carlos Augusto. Organizações virtuais. Cadernos

Ebape.Br. v. 4, n. 2 , jun. 2008

VASCONCELOS, Flávio C. Da gestão do conhecimento à gestão da ignorância: uma visão

co-evolucionária. RAE - Revista de Administração de Empresas. São Paulo, v. 41. n. 4. p.

-102, out./dez. 2001.

Downloads

Publicado

30/07/2021

Como Citar

FREITAS DE OLIVEIRA, C.; BERTACI, M. J. . GESTÃO DE PESSOAS E DO CONHECIMENTO COMO DIFERENCIAIS COMPETITIVOS E PRODUTIVOS NAS ORGANIZAÇÕES. Revista Interface Tecnológica, [S. l.], v. 18, n. 1, p. 618-630, 2021. DOI: 10.31510/infa.v18i1.1162. Disponível em: https://revista.fatectq.edu.br/index.php/interfacetecnologica/article/view/1162. Acesso em: 29 nov. 2021.

Edição

Seção

Tecnologia em Produção Industrial